Juristas a fazerem leis com números dá demagogia e confusão - o caso do IAS

Os juristas quando se colocam a fazer leis com números, dá, no mínimo, confusão matemática.

Segundo a lei, o valor do mínimo de existência corresponde a 14 vezes 1,5 Indexantes de Apoios Sociais (IAS), ou seja, a 9.215,08 euros.

Em vez de a lei mencionar 14 vezes 1,5, porque motivo a Lei não diz simplesmente que o mínimo de existência é de 21 vezes o IAS, considerando que 1,5 vezes 14 dá 21? Ou seja, 21 vezes 438,81 euros (1 IAS) perfaz os tais 9.215,08 euros que corresponde ao mínimo de existência.

Como se não bastasse a confusão, o PS pretende, por motivos meramente políticos e de propaganda, aumentar em 100€ o respetivo valor do mínimo de sobrevivência, o que torna a fórmula obsoleta por um ano, de acordo com a proposta de lei.

“De forma a proteger o rendimento das famílias, no IRS a liquidar no ano de 2021, relativo aos rendimentos auferidos em 2020, ao valor a que se refere o n.º 1 do artigo 70.º do Código do IRS, acrescem excecionalmente 100 euros, retomando-se no IRS relativo ao ano de 2021, a aplicação da fórmula que consta do referido artigo”, lê-se na proposta dos socialistas.

Claro que se os juristas percebessem alguma coisinha de aritmética, a fórmula poderia continuar válida, e teriam apenas que mudar o factor multiplicativo para passar a ser 21,228. Ou seja, após a benesse de 100 euros, o mínimo de existência passaria a ser 21,228 x IAS, pois (9.215,08+100)/(438,81)=21,228.

E vez de somarem 100 míseros euros por ano para um factor de 21,228, porque não simplesmente dizer que o mínimo de existência passaria a ser 22 vezes o IAS, para o número ser rendondo? Ou porque não, para fazer número socialista, dizer que o mínimo de sobrevivência é 700 vezes 0,03 IASs, já que 700 vezes 0,03 dá 21?

Enfim, juristas e socialistas nunca se deram muito bem com a matemática em geral. E já nem rogo que percebam alguma coisa de equações diferenciais ordinárias, bastaria um bocadinho de conhecimentos básicos de aritmética elementar. Os juristas são o reflexo putrefacto da sociedade contemporânea, completamente ignorante com números e sempre sujeitos a abraçar a demagogia barata dos vendedores de doçarias, para citar Sócrates, o ateniense.

Post Scriptum, pois não ouso usar a sigla: Atualmente, em 2020, o IAS é de 438,81 euros, conforme estabelecido na Portaria nº 27/2020, de 31 de janeiro. Este valor ficou mais elevado este ano (tendo aumentado em 3,05€ face a 2019, embora tenha sofrido um acréscimo mais modesto do que o que se verificou de 2018 para 2019, que foi de 6,86€).